Páginas

31 de março de 2017

aiug

a culpa vem e vai, mas não convence.
a culpa faz com que você se sinta maior que o outro. com a intenção de diminuí-lo para que você se enalteça. o ego chora, mas se esquece que não é Deus. é o que liberta, é o que faz tremer, é o que faz agitar. mas depois vem a calmaria. por favor venha, rogo a ti. liberta meu coração dessa prisão. você não o obrigou a fazer nada, cada um tem a sua história e contexto. não é sua obrigação salvar o mundo. ajude quem quer ser ajudado e faça o bem, sempre com intenção de amor. há necessidade de cura. estou perto, sinto isso. está próxima . virá quando tiver que vir. pelo menos o frio e os tremores cessaram. gratidão. minhas mãos estão quentes novamente.

ic

depois de quase um ano de fim de ciclo, você apareceu de novo no pensamento. me fez sorrir de forma aquecida, depois de tanto tempo. nem lembrava como era sorrir assim. de verdade.
ontem estava no nosso local e lembrei da história do estacionamento, das risadas que demos, da intensidade de tudo. aquela região me lembra tanto você. daqui a pouco é seu aniversário de novo, e estarei no mesmo retiro. agora com novas coisas pra resolver aqui dentro. faz parte. hoje estava comendo pipoca doce e fiquei pensando em como seria em te encontrar de novo. lembrei do que quanto conheci São Paulo, graças a você e a sua paixão pela cidade. paixão pela vida.
toda vez no pé da escada me lembro do sorriso que você abria. me lembro de sorrir também. hoje você constituti a melhor memória. eu sinto sua falta. e fico feliz que não dói mais admitir isso. nós dois traçamos nossas rotas diferentes, e é melhor mantermos assim. por fim, demorou, mas você saiu da categoria dedo podre. hoje você merecia o Oscar'inho.





infinictum

num primeiro momento, mexe. não vou dizer que não. incomoda absurdos. eu li a mensagem estava numa reunião. um filme rápido passou na minha mente e deu aquela sensação de puxar pelo umbigo para trás, como se fosse uma chave de portal. Um embrulho no estômago fora do comum. Minha mente viajou e custei para retomar a atenção. voltei dirigindo e pensando: porque ainda mexe tanto. Não é pra mexer mais. Mexe de um jeito ruim, eu tenho vontade de vomitar toda vez que lembro dessas coisas. passo mal. é péssimo, incomoda, como se eu tivesse pisado num cocô infinito e essa bosta nunca saísse do meu pé. por mais que eu lave, por mais que eu limpe. não sai.
e acho que não vai sair. acho que vou ter que continuar andando até que essa coisa saia do meu pé. naturalmente. sozinha. vou ter que esperar o tempo da bosta. esperar a boa vontade dela, até sair sozinha.

21 de março de 2017

300

300 textos publicados em 10 anos de blog.
como sempre digo, escrever é para mim uma forma de liberdade. aqui, é onde sinto que posso ser de verdade. nas crises, esse blog me ajudou muito mais que muita gente. porque aqui eu posso depositar meus pensamentos e lê-los depois. ou nunca mais lê-los. mas fico feliz que consegui uma maneira saudável e prazerosa de aliviar minha mente. a gratidão pela agilidade adquirida, pelas ideias consolidadas, pela clareza de tomadas de decisão. o quanto o que foi dito aqui ajudou outras pessoas. aqui é um recanto de paz. esse blog chegou as 40 mil visualizações sem divulgação nenhuma. e não é pra ter mesmo, porque aqui é como se precisasse ter um passaporte para adentrar. aqui é a área de descanso da subida da montanha. subir cansa a todo momento, mas saber que temos um cantinho para descansar de verdade. sem pitacos, opiniões, sugestões. há preocupações externas mas tudo some quando estou aqui. digito como se tocasse piano, com uma fluidez que não é desse mundo. apenas gratidão pela fluidez. em breve 10 dias de mais experiências de expansão. GIED.

meditar em gratidão



fiz isso no domingo, quando voltei depois de um final de semana ótimo, que passei com minha família. senti amor de verdade, como há tempos não sentia. que sensação maravilhosa. de olhos fechados, enquanto o eucalipto queimava, lembrei de todos os sorrisos que vi no final de semana. e foi legal porque cada vez mais pessoas começavam a aparecer na mente. como se fosse uma conexão linda e cheia de paz. me emocionei muito, pois cada sorriso vinha um dose de gratidão imensa. e começaram a vir também pessoas que não fazem mais parte da minha vida, mas em algum momento, fizeram parte da minha história. pessoas que me feriram e me fizeram chorar, mas que no domingo apareceram sorrindo em minha meditação e pensamentos e senti gratidão por tê-las na lembrança. isso não significa que as quero de volta, não! ciclo encerrado. mas fiquei muitíssimo surpresa. ainda há conexão. a gente não pensa, apenas sente. acabei de fazer de novo essa meditação. aliviou um pouquinho o aperto no peito. alívio. paz de novo.

hoje

estou sentindo uma agonia que não faz parte do ser, mas faz ao mesmo tempo. veio do nada.
desde manhã. tive um cancelamento. e estão vindo pensamentos de que não sei lidar com mudanças - logo eu que vivo sob mudanças o tempo todo. será que eu sei mesmo lidar com mudanças? a gente se acha demais né? amo dias cheios, mas quando sai do planejamento, minha mente se atrapalha toda. estou com vontade de fazer nada hoje. deixar tudo de lado. acordei tarde só porque não tinha que sair. novamente me desprendo  do compromisso comigo mesma. quando é para os outros, é ótimo. mas quando é para mim, eu me ignoro. estamos trabalhando para que isso não me atrapalhe mais.
estou sentindo que outro ser assumiu meu corpo porque não consigo perceber ou mesmo dizer se quero ou não escrever esse texto. só sei que meus dedos estão digitando automaticamente, e não sei quem ou o que está fazendo isso. acho que é como se fosse uma outra Pamella que assume o controle quando a outra desliga por exaustão. engraçado, acho que sinto gratidão por ter vários seres habitando aqui. é sobrevivência. estou com muito frio.

18 de março de 2017

te vira

estava conversando com uma amiga e me veio um insight apenas hoje, no dia seguinte.

acho que sempre tive medo ou vergonha de ser inteligente. olha que loucura!

desde criança eu sempre quis voar mais alto, mais rápido, descobrir as coisas, devorar livros. mas por algum motivo, que hoje compreendo melhor mas não totalmente - confesso, por muito tempo eu tive vergonha de buscar essas coisas. como se fosse errado querer me desenvolver. as professoras e algumas pessoas próximas sempre incentivavam "você tem que esperar seus amiguinhos"

hoje eu vejo que me anulei muito, servindo a uma realidade que não era minha. eu estudava e conhecia coisas, não compartilhava com as pessoas, pq tinha vergonha de ser inteligente e ter um rótulo de isolada - e quando você é adolescente você não quer ficar isolada do mundo. então - olha que loucura - você finge que você não é o que é só para agradar os outros.

não tem nada de errado ter sede de conhecimento, por gostar de estudar. por seguir o coração ou a mente para buscar o que nos completa. isso hoje pode gerar algum desconforto - cada escolha uma renúncia, mas isso é foco!. hoje me sinto mais fortalecida para segurar as pontas.

eu não dependo de ninguém para fazer o que quero fazer. eu estou aprendendo tantas coisas boas! e mantenho minha atenção apenas para um propósito: aprendo somente para ensinar. meu único foco é compartilhar conhecimento com quem quiser voar junto.

e não, eu não tenho que esperar nada.

hoje, mais liberta, sinto e sei que não preciso esperar ninguém, se você quiser vir será bem vind@. mas saiba que não vou te esperar. você que acelere seu passo para acompanhar. te vira!


3 de março de 2017

527

hoje consigo compreender o real motivo pelo qual você apareceu em minha vida.
você veio para me ensinar o que é o amor. para atingir o nível de consciência do amor é necessário aceitação do contexto e dos conteúdos.
é impossível criar emoções de ódio ou tristeza aqui dentro. mesmo depois de tudo o que você me disse, todas as mensagens que você mandou, todas as suposições, hipóteses e inferências. eu não odeio você. eu aceito você.
você está em minhas orações e pensamentos a todo o momento. peço ao divino que te proporcione luz e paz a todo momento. e que você encontre a verdadeira felicidade. rogo ao Pai que te livre do sofrimento causado pelo apego exacerbado. que Ele te proporcione a paz que, aí no fundo, você quer encontrar.
mas te digo que não será através de manipulações e chantagens que você conseguirá o que quer. para alguns níveis de consciência, a verdade pode ser uma ofensa. e fica claro o sofrimento que é encarar a realidade como ela é - e não como você quer que seja.
hoje de coração aberto, eu aceito a sua não aceitação. sua não aceitação vai durar o tempo que tiver que durar. eu te acolho, energética e espiritualmente. ajudo de longe pois qualquer contato fomentará o que o ego quer. você está no caminho certo. eu respeito seu luto. eu respeito sua dor.
espero que um dia, quando e se fizer sentido, você entenda que está minando toda e qualquer possibilidade de contato futuro, devido a todas as reações emocionais e impulsivas que estão sendo demonstradas.
outros esclarecimentos válidos para o contexto atual:
- amor e desejo são absolutamente distintos. eu tenho amor por você e por todos os seres. não há diferenciação, posse, apego, prioridade. quanto mais se ama, mais é possível amar.
- o fato de eu aceitá-lo como é não significa que eu tenha que ter você por perto, alimentando vontades egoicas e individualistas. são coisas distintas. você entenderá quando quiser. o tempo é cura.
-  cada ser é responsável pelo que lhe cabe. se fizer sentido um dia, reveja seus pensamentos, falas e escritas e busque sentido no você fala. é muito mais valioso do que investir tempo tentando encontrar sentido na fala do outro.
- quando e se fizer sentido em seu contexto, você perceberá que terceirizar responsabilidade dos nossos atos para outrem é uma das ações que mais geram sofrimento para nós e para o outro. pois você estará depositando sua fé em algo transitório: o outro, assim como você, é um ser transitório, que muda e está em constante evolução.

Que seja feita Sua vontade
Gloria in Excelsis Deo
Bhavatu Sabba Magalam
Kyrie Eleison
_/\_