Páginas

29 de junho de 2013

Desespero de domingo

Acho que quando nada começa a fazer mais sentido é hora de buscar ajuda. Mas na verdade faz sentido pra mim, mas não para o mundo. Faz sentido no meu mundo. Isso deveria bastar? Os pra quês e por quês da vida estão me tirando do sério. Não consigo mais achar sentido em algumas de minhas atividades, e isso está me deixando totalmente infeliz. É como se tudo o que fiz até agora tivesse perdido o brilho. Tenho vontades e mais vontades de fazer acontecer, mas não quero que outras coisas levem o mérito. Outra suposição é que o que alcancei hoje não é o que eu amo. Devo buscar agora o que eu amo, ou devo suprir as necessidades para depois buscar a paixão? São tantas perguntas que inundam a minha mente, são tantas ideias que não fazem mais sentido... talvez me falte um pouco de coragem misturada com ousadia. Tenho medo de perder e medo de errar. mas parece que errei na escolha. não era bem esse caminho que eu queria trilhar. hoje gosto de tudo que conquistei e alcancei, menos da minha dedicação de 4 anos. mas como fazer pra trilhar outro caminho? quero me especializar em algo que faça sentido, em algo que eu realmente ame. pois pela primeira vez, em anos, eu senti desespero num domingo a noite.

Porquês da vida

O destino adora brincar conosco. Vida, responda-me porque é necessário trilharmos um longo caminho imaginando que tudo vai ser como queremos, para chegar no destino final e descobrir que não era bem aqui que pensávamos? Destino final, obviamente, é maneira de falar. Ainda existem muitos anos pela frente. Mas a questão é apenas uma: porque a ausência de realização nos persegue de maneira tão atordoante? Mais do que isso, porque sempre queremos estar em outro lugar? É problema de fábrica da geração ou apenas uma confusão momentânea que, em breve, passará? Uma das coisas que me inquietam é a censura... Seja isso, não seja aquilo, diga dessa maneira, mantenha essa postura. Tudo, de repente, parece incrivelmente falso e não autêntico para mim. Tem algumas regras que devemos seguir, ok, mas outras... simplesmente não fazem sentido. Escrever é um exemplo. Gosto de escrever sem limites e por essa razão mantenho esse blog. Aqui não preciso justificar ou complementar, não preciso explicar os porquês. Posso apenas escrever e esquecer esse texto em meio de mais outros 200 textos. Escrever. Isso me atrai, isso me satisfaz pela não necessidade de dar satisfações.