Páginas

21 de novembro de 2012

Sorria com dentes!

Desculpe, mas não confio em quem não mostra os dentes quando sorri. Justifique o que quiser: que você tem dentes tortos ou que seu sorriso é feio. Feio é o sorriso falso, aquele sorriso forçado que você distribui para pessoas que você não gosta. Feio é fingir que gostou de algo para não criar intrigas e apartar toda a turbulência com sorriso. Não é essa a finalidade do sorrir. Sorrir serve para te fazer bem, para dar mais alegria aos momentos felizes. Portanto, não tenha vergonha de mostrar seus dentes, certinhos ou tortos, não tenha vergonha de suas covinhas ou da cara bizarra que você faz quando um sorriso resolve aparecer.
Não existe feiura na sinceridade: alegria é a única coisa que podemos ter em demasia sem prejudicar nós mesmos.


12 de novembro de 2012

Deslo(u)cada

Acho incrível o poder que as pessoas tem de se tornarem fúteis. Acho que cheguei num ponto de repúdio tão grande que não consigo mais respeitar. Me sinto deslocada porque os assuntos inteligentes e interessantes para mim são planetas inexplorados para as fúteis. Elas não entendem comentários nem frases, acho que tudo é motivo para deboche e que possuem total liberdade para se depositarem toda a importância em si mesmas. Não consigo conversar das coisas que gosto com as fúteis pois elas só sabem falar, com voz ridícula, sobre carros, posses e dinheiro: para as fúteis o sucesso está na quantidade sem a menor qualidade. Cheguei ao ponto de preferir ficar sozinha em meu mundo a ter que perder tempo interagindo com pessoas que nada vão me acrescentar. Quero poder me expressar sem medo de julgamentos, mas sinto olhares oblíquos. Por isso, me sinto deslocada mas com orgulho e prazer, pois dessa maneira encontro meus iguais. Deslocada e louca que sou, sou louca por ser normal. Sou louca por não ter medo de expor minhas ideias e pensamentos, sou louca por não querer fazer parte do que querem que eu faça. Deixem que eu monte minha própria história sem justificativas pois foi-se o tempo que a simpatia era obrigatória para mim.