Páginas

13 de agosto de 2012

Alcatraz

Não é a primeira noite que termino desejando profundamente que já fosse outro ano. Anos mais novos, onde eu encontrava alegria nos amigos e nas brincadeiras de rua. Ou ano que vem, quando toda essa tortura estressante acabar e eu começar a viver outra vez. Às vezes tenho vontade de jogar tudo pro alto e começar do zero. Mas tenho medo. Medo de tentar, medo de arriscar, medo de perder. Queria mudar de cidade, de país, de vida. Respirar outros ares, fazer o que gosto sem ter preocupações excedentes. Hoje não consigo mais me concentrar em nada, mas por favor, não pense que é por mal. Me sinto presa em minha própria mente, com grades que sou incapaz de quebrar. Pensamentos ruins e involuntários invadem minha cabeça bem agora, na hora de dormir. Meus medos tomam formas assustadores nos meus sonhos, e infelizmente, acordo assustada antes de enfrentá-los. Sou prisioneira de pensamentos... Alguém já fugiu de sua Alcatraz mental?


Preto e branco

Sabe quando você tem aquele sentimento de que nada mais faz sentido para você? Estou muitíssimo bem, obrigada, com minha família e meu namorado.  Para falar a verdade, apenas essa parte do amor faz sentido para mim, hoje. Apenas com esse amor consigo me sentir bem de verdade. O resto? Me sinto incompleta. Falta emoção, faltam coisas diferentes, faltam desafios. Não faço idéia se isso está sendo causado por estafa mental ou por stress da rotina. Sei apenas que meu mundo não está mais colorido. Diminuíram o tom de cor dele; agora, sinto que apenas poucas peças do quadro tem cores realmente vivas. O resto está tudo em preto e branco.


5 de agosto de 2012

Recomeçar do certo

Não dá pra negar que é impossível o conserto de algo que já começou errado. Mas, eu acho que não é do seu desejo continuar fingindo que sua cabeça é o martelo, e os problema são os pregos. É meio masoquismo continuar na inércia da comodidade e simplesmente seguir errado. Você tem a chance de recomeçar. Você tem a chance de fazer certo. Então, se você tem o caminho de luz, porque você continua no escuro?