Páginas

21 de novembro de 2012

Sorria com dentes!

Desculpe, mas não confio em quem não mostra os dentes quando sorri. Justifique o que quiser: que você tem dentes tortos ou que seu sorriso é feio. Feio é o sorriso falso, aquele sorriso forçado que você distribui para pessoas que você não gosta. Feio é fingir que gostou de algo para não criar intrigas e apartar toda a turbulência com sorriso. Não é essa a finalidade do sorrir. Sorrir serve para te fazer bem, para dar mais alegria aos momentos felizes. Portanto, não tenha vergonha de mostrar seus dentes, certinhos ou tortos, não tenha vergonha de suas covinhas ou da cara bizarra que você faz quando um sorriso resolve aparecer.
Não existe feiura na sinceridade: alegria é a única coisa que podemos ter em demasia sem prejudicar nós mesmos.


12 de novembro de 2012

Deslo(u)cada

Acho incrível o poder que as pessoas tem de se tornarem fúteis. Acho que cheguei num ponto de repúdio tão grande que não consigo mais respeitar. Me sinto deslocada porque os assuntos inteligentes e interessantes para mim são planetas inexplorados para as fúteis. Elas não entendem comentários nem frases, acho que tudo é motivo para deboche e que possuem total liberdade para se depositarem toda a importância em si mesmas. Não consigo conversar das coisas que gosto com as fúteis pois elas só sabem falar, com voz ridícula, sobre carros, posses e dinheiro: para as fúteis o sucesso está na quantidade sem a menor qualidade. Cheguei ao ponto de preferir ficar sozinha em meu mundo a ter que perder tempo interagindo com pessoas que nada vão me acrescentar. Quero poder me expressar sem medo de julgamentos, mas sinto olhares oblíquos. Por isso, me sinto deslocada mas com orgulho e prazer, pois dessa maneira encontro meus iguais. Deslocada e louca que sou, sou louca por ser normal. Sou louca por não ter medo de expor minhas ideias e pensamentos, sou louca por não querer fazer parte do que querem que eu faça. Deixem que eu monte minha própria história sem justificativas pois foi-se o tempo que a simpatia era obrigatória para mim.



22 de outubro de 2012

Sutileza

Sutileza não é meu forte. Costumo ser tão delicada quanto um elefante numa loja de cristal.

(Pessi) (Oti) mismo

Incrível como nos últimos dias o tempo tem passado numa velocidade cem vezes mais rápida. Meu desespero torna-se sem fim quando vejo que a corda está apertando meu pescoço. Acho que vou começar a preferir ser pessimista: pensar que tudo vai dar errado, e quando der certo eu vou ter uma surpresa. Talvez seja melhor do que pensar que vai dar tudo certo e no fim, sua vida se atrasar mais seis ou doze meses por causa de burocracia.

14 de outubro de 2012

Descanso

Finalmente, acho que a felicidade resolveu me dar uma chance. Não que eu já não fosse feliz, mas acho que estava havendo muitas interrupções. Muitas chateações. Muitas ~ões menos 'milhões' de momentos felizes.
Há uma semana acho que a sinceridade abriu muitas portas pra mim. As coisas ruins resolveram descansar. Aconteceu aquele momento do real desapego, e ao mesmo tempo com um apego descomunal. Aquele momento que você decide mudar de verdade. Decidimos fazer tudo diferente, coisas inéditas, novas experiências. E o efeito está sendo ótimo. A confiança subiu de nível, estamos em outro patamar de curtição. A palavra amor incorporou o significado de companheirismo, amizade e mente aberta. Uma coisa eu aprendi (ou aprendemos) com tudo isso: você nunca conseguirá resultados diferentes se continuar fazendo as mesmas coisas.


24 de setembro de 2012

Pior erro

"Até o pior erro do mundo é melhor do que não tentar."

Essa frase devia me mover pra frente, mas meus pés estão fixados no concreto.


Octógono

Minha mente é um ringue controlado por algo ou alguém que criei, que me coloca medo e parece que observa cada passo que dou. Gosta de controlar meus olhares e dizeres, e ações e opiniões. A sensação é mesma de um saco de plástico na cabeça: sufocante. Respirar é impossível , viver também. Como (sobre)viver a essa tortura que comete atentados à minha personalidade ? Chega um momento que não sei se é real, ou são apenas perturbações da mente. Mas sei que os nocautes são reais, pois me machucam mais do que um soco de verdade.

10 de setembro de 2012

Livro de regras

Concordo com a Meredith, que diz que deveria haver um livro de regras, que te avisasse magicamente quando você está passando dos limites. Eu nao quero e nem gosto de incomodar, ninguém. Mas sou incapaz de compreender o silêncio e sempre acabo quebrando-o com perguntas desnecessárias. Aí acabo tornando-me exatamente o que detesto ser: inconveniente.

Silêncios

O silêncio não me incomoda, mas ele me preocupa demais. Como saber se está tudo bem se as palavras são inexistentes? Como não enlouquecer quando quero respostas e não as escuto? Acredito que a essa altura o silêncio deveria me confortar e gostaria, francamente, de já ser capaz de compreender seu gesto. Mas enquanto não ler seu manual de instruções por completo, ficarei com essa dúvida eterna: como diferenciar o silêncio bom do silêncio ruim?

13 de agosto de 2012

Alcatraz

Não é a primeira noite que termino desejando profundamente que já fosse outro ano. Anos mais novos, onde eu encontrava alegria nos amigos e nas brincadeiras de rua. Ou ano que vem, quando toda essa tortura estressante acabar e eu começar a viver outra vez. Às vezes tenho vontade de jogar tudo pro alto e começar do zero. Mas tenho medo. Medo de tentar, medo de arriscar, medo de perder. Queria mudar de cidade, de país, de vida. Respirar outros ares, fazer o que gosto sem ter preocupações excedentes. Hoje não consigo mais me concentrar em nada, mas por favor, não pense que é por mal. Me sinto presa em minha própria mente, com grades que sou incapaz de quebrar. Pensamentos ruins e involuntários invadem minha cabeça bem agora, na hora de dormir. Meus medos tomam formas assustadores nos meus sonhos, e infelizmente, acordo assustada antes de enfrentá-los. Sou prisioneira de pensamentos... Alguém já fugiu de sua Alcatraz mental?


Preto e branco

Sabe quando você tem aquele sentimento de que nada mais faz sentido para você? Estou muitíssimo bem, obrigada, com minha família e meu namorado.  Para falar a verdade, apenas essa parte do amor faz sentido para mim, hoje. Apenas com esse amor consigo me sentir bem de verdade. O resto? Me sinto incompleta. Falta emoção, faltam coisas diferentes, faltam desafios. Não faço idéia se isso está sendo causado por estafa mental ou por stress da rotina. Sei apenas que meu mundo não está mais colorido. Diminuíram o tom de cor dele; agora, sinto que apenas poucas peças do quadro tem cores realmente vivas. O resto está tudo em preto e branco.


5 de agosto de 2012

Recomeçar do certo

Não dá pra negar que é impossível o conserto de algo que já começou errado. Mas, eu acho que não é do seu desejo continuar fingindo que sua cabeça é o martelo, e os problema são os pregos. É meio masoquismo continuar na inércia da comodidade e simplesmente seguir errado. Você tem a chance de recomeçar. Você tem a chance de fazer certo. Então, se você tem o caminho de luz, porque você continua no escuro?

26 de julho de 2012

Incontrolável

Eu realmente gostaria que esse sentimento não existisse. Machuca demais o resultado e preferia ser fria e mais racional de vez em quando, mas o coração adora gritar para ter a voz mais alta. Na cabeça, cenas do que poderia ter acontecido, cenas improvisadas e forçadas, que fazem tremer as mãos e pés, cenas que tiram sua concentração por horas, cenas que não te deixam desligar o filme para poder dormir em paz. Altas horas da noite, sua mente quer desligar, mas tais pensamentos sentimentalistas não abandonam o cérebro na madrugada. Atormentar. Essa é a palavra que vem participando das minhas noites há meses. Confesso que o tal sentimento até some, mas às vezes ele resolve dar as caras.

Uma parte de mim roga para expulsar esses pensamentos que crescem como pestes, que estragam meu solo fértil de ideias. Minha parte quer expulsar o sentimento porque sabe que ele não possui nenhum tipo de fundamento. Essa é a parte racional, que age com ímpeto na maioria das horas do dia. 

A outra parte de mim, é um problema: se não existe nada acontecendo, ela gosta de criar cenários sombrios e tristes, que magoam em pensamento. Essa minha parte é pessimista, e muitas vezes, adora pregar peças em mim, dizendo que tudo é real. Já acreditei na realidade da minha mente e te dou um conselho: não caia na pegadinha e não deixe que ela te controle, apenas.





11 de julho de 2012

Basta!

A paciência anda meio curta para frescuras. Não gosto de você, que reclama por solidão, que reclama por contato, que reclama por existir, que reclama que as pessoas não te deixam fazer as coisas do seu jeito. Escuta: você nasceu sozinho, portanto vai morrer sozinho; porém, procure amigos que te façam sorrir e não aqueles que fazem comentários negativos e querem que sua vida se acabe só porque a dele não está dando certo. Se você reclama por existir, pare de poluir meus ouvidos com reclamações. Dê cabo de suas amarguras, os nossos ouvidos não são muros de lamentações. E por fim, pare de culpar alguém por não ter conseguido realizar seu maior desejo ou sonho: se você não consegue, é porque és covarde demais para admitir que não tem coragem de enfrentar o leão e alçar seu próprio voo. Livre-se dos freios e busque seu horizonte, porque ninguém fará isso por você.

3 de julho de 2012

Não existe metade

Acho que tem uma frase famosa - de não sei quem - que diz 'não sei amar pela metade'. É impossível você amar só um pouquinho: amor não tem medida se não for maior que o céu.

Não tenha dúvidas

Eu não sei se você já teve essa sensação de querer estar o tempo todo com alguém. Ser feliz com o sorriso ou com o sacolejo da barriga numa gargalhada escandalosa. Estar satisfeito com o 'eu te amo' dito aos sussurros ou com o silêncio, naquela hora em que o olhar diz tudo. Posso até tentar Caio de Abreuzar mas jamais conseguirei porque eu sou meio que incapaz de escrever tudo tudo o que sinto, mas sei amar muito bem, não tenha dúvidas.

2 de julho de 2012

Em busca da ideia perfeita

Todos os dias eu sonho que vou acordar com uma ideia genial na cabeça e, assim que sair da cama, vou saber como executá-la e torná-la realidade. Sabe, às vezes acho que a ideia realmente aparece mas a inabilidade para lidar com isso é incrível. O que eu quero dizer é que talvez, no final das contas, a gente descubra que as coisas são muito mais simples do que imaginamos e muito mais fáceis de fazer do que aquelas milhões de engrenagens que se formam na nossa mente.

11 de junho de 2012

Sacrifício

Finalmente aprendi - a duras penas - que o único sacrifício deve ser feito para você e por você.

Em transe

Aquele nevoeiro que voltava a se formar em minha mente, finalmente está indo embora. A confusão mental se deu quando me perdi: chegou uma hora que não tinha mais vontade, nem objetivo, nem desejos, nem ambição: estava apenas me deixando levar pela correnteza. Até a hora que me afoguei em pensamentos e finalmente acordei do transe: é bom voltar parcialmente ao normal.

1 de maio de 2012

Além fronteira

Tenho uns lances loucos de reflexão, mas tenho fé que um dia eles me renderão algo mais do que simples visitas. Gostaria de um pouco de reconhecimento além fronteira. Estou fazendo diferente, mas ainda não é suficiente. A vida tem dessas coisas. Mas ainda acredito nos meus lances de reflexão.

23 de abril de 2012

A gente não muda o destino

As coisas boas são perceptíveis no seu sorriso que recebo quando falo alguma besteira. O som do seu riso, o ruido do seu respirar do meu lado, quando estamos deitados juntos, fazendo nada além de apreciar a companhia um do outro. Sinto que tudo estava escrito quando começamos nossa história. A gente não muda o destino, mas sempre podemos seguir em frente da melhor forma possível. O amor é o nosso combustível; então por favor: não deixe que isso se perca, porque eu não vou deixar.

Just think about it.

Por favor, não me venha falar de maturidade. Todo mundo tem o direito de sucumbir aos pensamentos de vez em quando. Ao invés de se perguntar porque estou agindo assim, você poderia usar o seu silêncio para me confortar. Isso pelo menos significaria que você está tentando me compreender. Pare de tentar controlar o que você não domina. Somos bons com nossos próprios sentimentos, mas o dos outros é porcelana fina e quebra com um sopro. Por isso é um ofensa, por isso tenho medo de dividir minhas coisas com você desde os primeiros anos. Se maturidade significa manter a mesma linha de pensamento, você está falhando ao pregar um coisa que você não é. Apenas pense.

Não é de hoje...

Às vezes tenho vontade de acordar e ver que tudo é um grande sonho ruim. Queria pode me desfazer das coisas péssimas que penso, queria me livrar daquilo que me enoja e me causa náuseas.Queria que tudo isso fosse um sonho, mas que eu pudesse acordar quando eu quisesse, por livre e espontânea vontade. Quando o calor incômodo me invade, gostaria de poder sumir.

Be patient

Temos que ser realistas. O que você realmente quer não chegará do jeito que você quer. Talvez dê mais um bilhão e voltas antes de chegar na suas mãos, e mesmo quando chegar, ainda precise de algum ajuste. Mas o certo é acreditar que um dia aquilo vai acontecer, e independente do caminho que tome, você ficará feliz quando conseguir o que almeja. Mesmo que demore mais alguns anos. Às vezes, o mundo só está se preparando para a sua ascensão à grandiosidade. Seja paciente.

19 de abril de 2012

Escrever é...

Escrever é liberdade. É como ter a muralha da china à sua disposição para escrever nela toda com letras tamanho 10. É como se você tivesse asas e pudesse voar pra onde você quiser. É como se você pudesse tocar a melhor das sinfonias sem ter medo de errar uma nota. É como se você corresse no espaço e pudesse ir aonde quisesse. É meio mágico mesmo.


16 de abril de 2012

Um ano sensacional :D

O companheirismo é algo raro de encontrar. E quando acontece, é algo semelhante a ter encontrado um tesouro. Você encontra cumplicidade no sorriso, no olhar, na travessura e na coisa séria. É algo bonito de se ver e sentir. É o que faz brilhar a íris sem querer, porque tudo que é natural vem com força interior. E jamais falaria isso da boca pra fora, porque o que eu escrevo é apenas reflexo da felicidade. Que venha mais um, dois, mil anos. Eu já fiz a minha escolha, e tenho certeza que está tudo bem agora.

Ideias soltas

A cabeça explode de ideias, que você não consegue libertar ou colocar em prática. O que é pior, pois quando você menos espera, alguém já realizou antes que você. Quantas boas ideias não podem surgir? Basta apenas não perder a oportunidade.

14 de março de 2012

Terremoto

Acho que todo mundo já sentiu vontade de sumir, mas no meu caso quero fugir de mim mesma. As minhas personalidades travam muitas batalhas, mas ninguém acredita que isso é complicado de segurar. É como se você quisesse acalmar um terremoto, ou acalmar as ondas do mar. E o turbilhão de pensamentos, que mais uma vez, vem me perturbar. Só que dessa vez, com o poder de me privar do direito de dormir. Tudo que eu queria é ter uma noite tranquila, mas quando eu acho que está tudo bem... sempre tem algo pra acabar com a minha paz.


22 de fevereiro de 2012

Pouca idade


Meus filhos vão ser criados na humildade. Penso muito nisso, apesar da pouca idade.




16 de fevereiro de 2012

Mentirosidade

Se a mudança vem por fatores externos, ela perde todos os créditos possíveis. Não é certo que a sua motivação seja um objetivo externo a você. A genuinidade consiste em buscar um propósito dentro da sua mente e aí sim, trabalhar para conseguir um objetivo que você mesmo impôs pra si. Ninguém acredita na mudança feita de hoje pra amanhã porque quem é de verdade sabe quem é de mentira. Então poupe seus esforços e pare de tentar fingir ser algo que você não é nem de perto.



Fortalezamente

Às vezes tenho vontade de sumir de tudo isso, me excluir numa montanha e ficar vivendo lá, fora do mundo-meio que vivo. Mas a escolha foi minha de participar de tudo isso, agora tenho consequências pra sofrer. Mas ao mesmo tempo que quero fugir pro meu porto seguro, me pergunto se realmente 'fugir' é a melhor maneira de resolver o problema. Logicamente que não é, mas na nossa cabeça, o errado se torna certo de maneira tão surpreendente, que até duvidamos que a fonte do pensamento erroneamente correto está dentro de nós.

8 de fevereiro de 2012

Composição

Eu quero ter uma musica para cantar todas as vezes que a felicidade alcançar o maior nível de altura e a vontade máxima de crescer. Na verdade, a minha música já existe e é composta por sorrisos e olhares, sinceros e brilhantes das pessoas que me ajudam a enxergar a alegria. Faça mais uma tentativa e deixe a música invadir a sua mente: sorria e abrace quem quiser e deixe que o vento cuide das outras notas que faltam na melodia.

3 de fevereiro de 2012

Verdadeiramente puro

Eu não acredito em quem diz que ama todo mundo. Amor é um sentimento puro que hoje está caindo na rotina: o amor está na internet, digitado a esmo; o amor está engasgado na garganta de quem nunca disse 'eu te amo' verdadeiro: e o desespero solta a voz pra quem não merece. É fácil amar. É fácil suportar. Mas está complexo respeitar o sentimento de e verdade.


1 de fevereiro de 2012

Mar e Ane

O pensamento é traiçoeiro. Quando chega essa data, eu lembro automaticamente do seu aniversário. Penso como seria bom te dar mais um abraço, como seria bom ouvir sua risada escandalosa, e como seria bom ver seu sorriso outra vez. Aí começam vir os flashes da lembrança: nós com 12 anos e conversando sobre nossas coisas de meninas, nós com 13 jogando bola na escola, nós com 14 anos indo no shopping a tarde andar de carrinho bate-bate. Lembro dos 15 anos com seu desejo intenso de fazer regime sem precisar. Lembro dos 16  anos, nos campeonatos na escola, e com 17 na formatura, você dançando brisante. Lembro da nossa ultima foto. Lembro da ultima lembrança: um bilhete seu entregue ao meu irmão para que eu não sumisse. E, dois meses depois, você foi embora. Fico triste de lembrar que você não está aqui pra que eu compartilhe meus momentos com você, e vice-versa. Você faz uma falta enorme, Mari. Não só pra mim, mas pra uma legião de amigos e queridos. Obrigada pelas excelentes lembranças: vou lembrar de cada uma com o maior carinho do mundo. Te vejo em outra vida!

30 de janeiro de 2012

Dignidade

Prefiro acreditar no meu caminho: ele pode até estar errado, mas se me impedirem de cair, como vou criar as cicatrizes? Como um dia vou me lembrar do esforço que usei para conquistar o que quero conquistar? A pessoa que não é capaz de sentir o gosto e o valor da conquista, passa automaticamente a não ter valor também. Onde está o seu orgulho para conseguir o seu sonho com seu próprio sangue e suor? Seu pai vai ter que te dar o dinheiro para o seu primeiro carro? Sua mãe vai ter que conversar com os contatos dela para te arranjar um emprego? O valor não está em manter o que lhe foi dado de mão beijada, mas sim lutar para se tornar uma pessoa com dignidade.

Lógica da distância

Não acho que 'dar um tempo' seja capaz de resolver problemas de casal. Porque se você ama mesmo a pessoa, qual a lógica de você ficar distante pra ver se as coisas se ajeitam? Uma briga não vai ser esquecida em função da distância, pois problemas sérios só se resolvem com conversa. E se não há mais conversa, não há mais pelo que lutar, não há mais nada do que havia antes. Porque fingir que se importa se você está longe? Se você realmente se importasse, as coisas não tinham chegado a esse ponto, teriam?

27 de janeiro de 2012

Errado, mas humano

Aquele furor de satisfação, errado mas humano, quando você vê alguém pagando pelo que fez, sem que você tenha movido uma palha. A gente, pra ser certinho, sempre fala que não liga, mas não sejamos hipócritas: você também vai dar um sorriso satisfeito ao virar as costas pr'aquela pessoa que um dia quis a sua caveira. Já dizia um velho sábio, 'um dia da caça, outro do caçador'. E convenhamos: a gravidade sempre vai devolver a saliva que foi cuspida pra cima.

18 de janeiro de 2012

Acerto de frases

Não concordo com a frase 'a gente só dá valor quando perde'. Acho que faz muito mais sentido falar 'a gente se dá mais valor quando se afasta daquilo que atrapalha'. Juro que fico inconformada com as coisas que me fizeram perder tempo no passado. Mas essas coisas, nunca esqueço, fazem com que a gente aprenda a não errar de novo, apenas.

11 de janeiro de 2012

Anestesia

Ele chega e te pega, devagar e sorrateiro. Como se fosse bicho noturno e camuflado, que está sempre pronto pra dar bote. Você, acomodado em seu canto, não sente a possessão. É impossível sentir, porque ele domina o seu consciente e subconsciente. Te deixa entorpecido e anestesiado, antes de dominar a força de suas pernas, e fechar seus olhos - ao mesmo tempo - com um controle que faz duvidar de quem realmente manda no mundo - um suposto Deus ou ele... Meu apelo, pessoal e sincero: sono, por favor: me deixe trabalhar em paz.


(Re)Compensa





O cansaço compensa e recompensa a vontade de fazer a diferença.

9 de janeiro de 2012

Promessas

Eu prefiro não prometer nada. 'Vou fazer isso esse ano, não vou fazer nada' como no ano anterior. Eu não faço promessas desse tipo justamente por não saber se poderei cumprir. Às vezes, tudo é ímpeto do clima de ano novo, então não caio mais nessa. Prefiro ficar em silêncio, desejando algo mais geral: boas vibrações, pra mim, bastam. Eu gosto de desafios, mas não preciso ficar declarando o que vou fazer pra todo mundo. Porque se não der certo, a culpa fica só pra mim e não vou precisar aturar cobranças de quem não faz ideia do que passei durante o ano.