Páginas

27 de junho de 2011

Sintonia e equilíbrio

Há alguns meses,
Confesso que saí de um pesadelo,
Onde nem com o essencial eu podia contar.
Respeito e carinho,
Para mim tinham se tornado
Mais raros que estrelas cadentes.

Mas eu consegui sair da prisão:
Quando o vento da liberdade
Soprou a brisa leve em minha face
Felicidade maior não houve:
Naquele momento,
Eu soube que as portas estavam sendo abertas;
Onde do outro lado
Eu poderia encontrar algo
Totalmente novo e inesperado.

E o destino me abriu a janela da alegria:
Consegui alcançar um estágio de sorriso
Mais feliz e mais sincero do que nunca existiu.

Porque quando a sintonia
Entra em equilíbrio,
Não há nada mais importante
Do que ver um sorriso retribuído
Na face de quem se ama.


15 de junho de 2011

Sinfonia

Amizades, família, amores passados...
As pessoas não respeitam meu jeito de pensar:
Acham que sou criança demais,
Ou dura demais, ou bruta demais,
Ou mole demais, ou séria demais,
Ou engraçada demais na hora errada...

Nunca está bom pra ninguém.
Cresci ouvindo conselhos/mandamentos como
SEJA ASSIM, FAÇA ISSO, NAO FAÇA AQUILO.
Todo mundo fazia com que eu me sentisse um vaso de argila,
Sempre sendo moldado,
Sempre alguém querendo dar retoques,
Aparando as arestas.

Até que um dia
Eu quis minha carta de alforria de uma vez:
Me libertei de tudo isso,
de todas as regras que queriam me reger.

Eu não era sinfonia de ninguém,
portanto, não precisava de maestro.


3 de junho de 2011

Meu tempo

Vou derrubar qualquer pessoa
Vou derrotar qualquer coisa
Que me impeça de crescer
Ou que não me deixe voar pra onde eu quiser.

Não quero ter limites,
Não quero que ninguém molde meus conceitos:
Eles já tem maturidade o suficiente
Para que se mantenham de pé sozinhos.

Se eu tiver ajuda, ótimo.
Mas se eu não tiver
Não vou ficar esperando ninguém:
Eu faço meu tempo,
Eu sigo o caminho que eu quiser.


1 de junho de 2011

Verdade mais pura

E quando olhei aquele olhos
Consegui enxergar
A verdade mais pura
Que pode existir.
Aquela que transmite o sentimento
Da realidade mais clara que há em mim.
A segurança
Firme como âncora de navio
Onde me asseguro
Na esperança,
Com a certeza de um pavio
De que nada nem ninguém
Poderá tirar a gente do lugar.