Páginas

13 de março de 2011

Como eu sempre quis

Sinto que fiz a escolha certa
Ao receber a liberdade de braços abertos.
Não nasci pra ser domada,
Nem muito menos pra receber ordens.

Ficar vivendo de sacrifícios
E não receber um mísero sorriso de gratificação
Não é a minha cara.
Passo longe disso, com prazer.

Agora é hora de viver sem limites,
Quero ser grande e brilhante como o sol.
Não quero respeitar fronteiras:
Vou fazer tudo o que vier na cabeça.

Como eu sempre quis.


Postar um comentário