Páginas

27 de dezembro de 2010

Mágica

Essa noite sonhei que eu podia fazer o que quisesse.
Podia voar e alcançar o céu.
Podia tocar estrelas.
Podia prender a respiração
E nadar livremente por quanto tempo eu quisesse.

Podia conseguir as coisas boas que sempre almejei.
Podia abraçar todas as pessoas sem preconceito.
Podia reencontrar os amigos e amigas que perdi.
Podia respirar o ar puro que brotava de mim.
Podia dormir e sonhar que sonhava.

Podia reviver os momentos bons que passei.
Mas também podia criar outros melhores ainda.
Podia criar situações e vivê-las.
Ou podia apenas assistir acontecer.

Mas eu quis acordar.
E me dei conta de que tudo isso é possível.
Tudo tem sua devida consequência,
Mas é isso que é a tal mágica da vida.

Impossível, improvável.
Mas estamos dentro dela.
Tudo pode, tudo dá.
Onde sonho é realidade.
E a realidade não machuca tanto quanto parece.
Tudo precisa de carinho e atenção:
Apenas viva livremente.
As preocupações de amanhã virão amanhã.
Não chore: sorria.
Seu rosto fica bem mais bonito assim.


20 de dezembro de 2010

10 coisas que você não sabia sobre mim

Oi pessoal!
Fiquei devendo um top 10 no outro post, e aproveitando minha insônia vadia, tô escrevendo aqui. Na verdade eu ia deixar pra amanhã, mas eu sei que tenho bilhões de compromissos e deveres e infernos pra fazer, então aí vai!


1) Eu troco altas idéias com o meu cachorro e choro vendo ele dormir. Minha outra cachorrinha que morreu, a Bruna, eu nem ligava pra ela e me sinto muito culpada até hoje. O Bebê, o poodle mais lindo do mundo, dorme comigo hoje.

2) Conheço muitas meninas, adoro elas, mas prefiro amizade de homens, porque entre mulheres rola MUITA confusão. Muita inveja, muita competição, muita frescura. Prefiro a objetividade dos homens, pois você nunca irá discutir a cor de esmalte com seu melhor amigo.

3) Quero muito um animalzinho pra chamá-lo de Montgomery (que nem o líder do Get Along Gang, desenho que demorei uns 8 anos pra lembrar o nome. Bendito seja o Youtube).

4) Eu falo que eu sou nerd, mas eu só estudo a matéria no dia da prova. Fiz isso durante toda a minha vida, só pararei de fazer quando eu me lascar de verdade. Mas isso não arranca meu gosto por ler e estudar: sou fã de séries, admiro muito os super-heróis (até faço pose deles), vicio louco em pesquisa e besteiras da internet, amante de computação, mas nunca joguei RPG e tenho vida social, não se preocupem.

5) O perfume que eu mais gosto é o nº 8, da Contem 1g, mas os perfumes deles vão sair de linha D: Aliás gosto sempre de estar cheirosinha, porque gente fedida devia pegar prisão perpétua.

6) Eu ODEIO o meu pé. De verdade.

7) Eu comecei a usar óculos de bobeira. Meu irmão começou aos 6 anos e eu queria porque queria usar também. Comecei portanto a assistir TV bem de pertão e... uso óculos há 10 anos.

8) Eu consigo imitar o Stitch (Lilo & Stitch, da Disney), o sr. Rói Tudo (o fantoche do Joey, do seriado Três é Demais) e o burro (do Shrek).

9) Eu não consigo arrotar.

10) Eu tenho déficit de atenção: eu nunca presto atenção nas coisas que eu escuto. Uma vez minha mãe colocou um negócio pra eu ouvir e no final ela perguntou: -NAO É LINDO *---*? eu: -hmmmmmmmmm não sei #casagrande. Tenso demais na escola/facul: não consigo prestar atenção no que os professores falam e se, por milagre eu presto, basta eu sair da sala pra esquecer. Mas relaxa: se você vier trocar idéia comigo sou toda ouvidos, porque só absorvo coisas que me interessam.


Ah é isso. Eu ia fazer em forma de video mas ia ficar meio tosco visto que estou caída e torta de sono. Pelo menos agora vocês sabem algumas coisas irrelevantes, mas interessantinhas.

Boa noite galere! ♥

14 de dezembro de 2010

Selos

Fiquei muito lisonjeada ao ver os comentários do ultimo post e ver o oferecimento dos selos de qualidade, indicados pelo Eumar Lima, do blog A Verdade Nua e Crua.

É uma coisa muito simples, mas fiquei feliz mesmo. Isso mostra que o blog está alcançando patamares que eu nunca imaginei alcançar, pessoas lendo e curtindo, isso é bom demais!

E que venha 2011 lotado de pessoas legais como você, que visita aqui, com frequência ou não, mas vem checar as atualizações e ver o que eu tenho a dizer.

Obrigada de verdade a todos!

Olha os selos, aí minha gente:




As regras para receber os selos são:
1- Primeiro: precisa ser indicado por alguém que recebeu;
2- Segundo: Quem recebeu precisa indicar de 5 a 15 blogs que não possui tais selos;
3- Terceiro: Publicar os selos em um post e avisar aos indicados;
4- Quarto (apenas para o selo de qualidade): contar 10 coisas sobre você.

Minhas indicações são as seguintes:

  • Tyago's Blog - O Tyago foi o cara que me inspirou a fazer as poesias desse blog, ou seja, a influência dele está presente nas entrelinhas de cada poema. Vale a pena, vai por mim: o cara tem MUITA opinião!
  • Olhando as estrelinhas - A Marcella é uma menina muito especial. Escreve com o coração e está na cara que é master fã de Clarice Lispector. Então só pode ser coisa boa, portanto, visitem!
  • O Fantástico Mundo de Bob Xavier - Queria mesmo que a Gaby escrevesse mais porque os textos dela mostram a decisão e a certeza da palavra. Mulher decidida, inteligente e andreense como eu. Quer um hit combo melhor?
  • Fábrica de Sonhos e Imagens - Gente fina, pessoa que tive o prazer de conhecer pessoalmente, o Alexandre é um artista de mão cheia. Seus desenhos possuem os mais profundos e diversos significados. E complementados com os poemas e textos simples, tornam as obras dele magníficas apenas. Vale a pena!
  • G-Peripécias - A Gabi é minha irmã gêmea que nasceu exatamente um ano depois de mim. Essa menina é demais, e espero um dia conhecê-la pessoalmente; escreve como ninguém, com sentimento e paixão. Inteligente e uma pessoa maravilhosa de sorriso cativante.
  • The Melodic Girl - A Tathily é um linda, que terei o prazer de conhecê-la em breve. Seus poemas despertam o pensar, o refletir. Tem sentimentos em cada palavra escrita, vale muito a pena conferir. Ah, rockeira e andreense também. Precisa mais? ;)

E é isso aí! Essa é minha lista especialíssima! Lógico que vocês não precisam passar pra frente, mas entendam: eu PRECISAVA indicar vocês, meus amores.

E o meu top 10 vai ficar pra um próximo post ok!?

Mas ele sai, fiquem tranquilos ")
Um beijo com MUITO carinho na testa de todos vocês!

Paamps ♥

13 de dezembro de 2010

Sincera

A maior das felicidades
Está me consumindo tanto...
Sou capaz agora de voar sem asas,
Posso visitar casas, cidades
E fazer todos sorrirem com encanto.

Seria capaz de dividir minhas alegrias,
Seria capaz de cultivar sorrisos, melodias,
Com você, com ele e com ela:
Sem trabalho algum,
Como comer brigadeiro de panela.

O gesto é simples
Mas tem mais significado que qualquer coisa.
Pense nisso quando acordar todos os dias:
Pense que você vai fazer a diferença pra alguém
Pelo simples fato de sorrir
E compartilhar sua sincera alegria.

Na maior das tempestades
Seja você mesmo a calmaria!


10 de dezembro de 2010

Voar

Andar na estrada da liberdade é gratificante.
A sensação de ser livre pra escolher, viver, aprender.
Pular, gritar e sorrir como nunca.
Esse sentimento que nasce dentro do coração
Dentro da mente,
Tudo isso ajuda a gente a crescer.
Evoluir.
Soltar.
Voar.



7 de dezembro de 2010

Ampulheta - Final

Eu falava sozinha. No banheiro, pra ser mais exata. Nossa, trocava altas idéias comigo mesma.
Passei anos desse jeito e confesso que às vezes ainda faço isso, enfim.
Forever alone total, perceberam?

Até que um dia, minha mãe bateu na porta em perguntou com quem eu estava conversando. É, eu tinha me empolgado.

Precisava de outra solução: queria expor o que eu pensava sem ter medo de represálias. Porque quando um adolescente pensa, as pessoas querem podar seus devaneios. Nem era tão popular ainda esse negócio de blog, mas eu resolvi fazer. Ninguém ia ler, eu sabia, visto que eu não divulgava e tal.

Se você tiver paciência, visite minhas postagens antigas e veja a qualidade medíocre dos meus textos. Eles até fazem sentido, mas com a cabeça que tenho hoje, vejo que eu faria diferente: um pouco menos de revolta, um pouco mais de sapiência.

Mas veja bem, o passado que constrói a nossa essência. E devo dizer que precisei passar por todas as revoltas com e sem causa, os estresses, as discussões e brigas, mas sempre observando as pessoas e definindo o que eu NÃO queria ser. Tudo isso constrói caráter.

E tenho muito orgulho do que sou hoje.

Depois que conheci a poesia em 2008 pelos textos do @tyagodepaula, a quem agradeço profundamente pela amizade e influência, a temática e o tom dos textos mudaram completamente.

Hoje já consigo não só pensar em rimas, mas também em assuntos que fujam um pouco do habitual. Assuntos que estão todos os dias na sua frente, e que se tornam normais. Mas não deveriam.

Alguns amigos me perguntaram porque eu não deixo somente as poesias aqui e excluo os textos revoltados do início. Eu digo que eu não gosto de esquecer a minha raiz, a minha base sabe?
Gosto muito de me lembrar como fui, pra continuar sendo as coisas boas e esquecer as coisas não tão boas assim.

Dei o título de Ampulheta pra essa "Série" porque está relacionada a tempo, que liga a (r)evolução de ideias e comportamento, mudança, upgrade. Que lembra que a gente tem que mudar sempre, adicionar coisas novas à nossa vida, mas nunca se esquecer das origens.

E aquela primeira palavra que eu li... Ah agradeço à minha curiosidade que me incitou a entrar nesse mundo louco e maravilhoso das letras!

E agradeço a vocês, meus queridos amigos e amigas pelos acessos e comentários que venho recebendo a cada dia que passa. O carinho é enorme, adoro vocês de verdade, perto ou longe, não importa... E que venha mais 100, 200, 1000 postagens...


5 de dezembro de 2010

Ampulheta - II

O tempo passou, eu cresci, mas aquela paixão continuava. De modo exagerado admito.

Eu já quis escrever um atlas num caderno brochura e já comecei várias histórias onde a personagem começava seu dia tomando um suco de laranja. Nada a ver.

Na sexta série começaram as propostas de redação mais complexas, e eu tirei de letra. De modo exagerado, de novo. Os meus amigos rascunhavam umas 20 linhas por proposta. Minhas redações levavam a tarde toda pra serem escritas e tinha 7 folhas de caderno universitário frente e verso.

Problemas.

Mas eu notei que quando havia regras do tipo 'dissertação com 30 linhas sobre o desmatamento e outros problemas ambientais' eu SEMPRE travava. Agora, quando não tinha regras, nossa! Eu desembestava lindamente a escrever.

Até no Enem, vestibular, essas coisas eu nunca me dei bem. Quer dizer, não era de todo o mal, mas definitivamente minhas notas eram maiores na parte objetiva.

Eu não tenho e acho que nunca terei poder de resumir e limitar minhas idéias.

Eu queria muito conversar com pessoas mas estava revoltada (?) porque ninguém me escutava. Foi com 15 anos que comecei a trocar idéia com alguém que me entendia perfeitamente, sem me interromper ou olhar pro lado quando eu falava.

Eu mesma.

(continua...)

4 de dezembro de 2010

Ampulheta - I

Esse é o 100º post do blog e resolvi contar uma história pra vocês.

Eu aprendi a ler com 4 anos, fuçando num caderno de receitas da minha mãe e me lembro: minha primeira palavra foi Capítulo. Saí correndo pra contar a novidade pra minha mãe, que sorriu e me abraçou.

Desse dia em diante minha mãe quis me colocar na escola mas, pela pouca idade, eu teria que esperar mais um ano. E eu sonhava em ir pra escola, dava nome a todos os meus amiguinhos, dava aulas pros meus alunos invisíveis. E comia todas as bolachas deles também, mas isso não vem ao caso.

Mas uma coisa que assolava minha pequena cabeça grande e minha mãe ria muito disso, como ela adora me lembrar: se eu ia pra escola então eu já tinha que ter uma base; eu dizia "-MÃE EU NÃO SEI LER!"

E sério, não adiantava minha mãe dizer que a gente ia pra escola justamente por isso: pra aprender. "Não porque eu tenho que saber, que tenho porque tenho e MIMIMI". E batia o pé.

Minha mãe, anjo que sempre foi, resolveu me ensinar algumas coisas: vogais e palavras e letras e formas e curvas e nomes e vírgulas e detalhes.

O tempo passava e a porta daquele universo maravilhoso estava se abrindo pra mim...