Páginas

26 de agosto de 2010

Indo pro ralo

Olha só o que eu vi, que novidade!
Incrível regra lançada:
Não seja uma pessoa honrada,
Basta ser pop, nada de integridade.

Verdade!

A decência está descendo pelo ralo
Conteúdo não se preza mais.
Todos estufados com peito de galo
Querendo ser os tais.

Conflitos pessoais.

A originalidade vive em poucos
Que deveriam se orgulhar
E não acatar ao rótulo de "loucos"
Só para aos outros agradar.
Gritaria, entusiastas, roucos:
Era essa moda que devia pegar.

Pra um dia isso tudo mudar.


11 de agosto de 2010

Ego Inflado

Você se gaba de todos os seus feitos,
Procura contar aos eleitos
O quanto teve que ceder
E fala, e fala sem parar.
É importante escutar pra aprender
Será que você nunca vai se tocar?

Não te julgo como pessoa
E nem tenho esse poder
Jogue a moeda, tire coroa
Questão de tempo: você vai ver.

Da altura de seu nariz empinado
Eu poderia pular de bungee-jump.
Todos sabem, a vida é um campo minado
Apenas preste atenção, champ.

Se você é tão foda assim
Porque a sua vida é cheia de amargura?
Não consegues ter boas relações enfim;
Nenhum relacionamento você segura.
Pai e mãe viraram anexos da sua vida chinfrim;
Seus amigos te deixaram no baile de formatura.

Terás sucesso, sem felicidade
Estás em tempo de mudar
Época agora de tenra idade
Não espere o vento passar.

A humildade, traz mais ganho e muito mais garante
Do que o tamanho medíocre de seu ego gigante.



7 de agosto de 2010

Eterno



A única coisa que me emociona de verdade é observar a inocência safada e os suspiros lentos daquele que me será leal até o fim dos tempos.

A alegria que convence, que ilumina que me faz pensar nas coisas simples da vida. E uma dessas coisas simples é ver você dormir.

Não escrevi em rimas, pois sou incapaz de pensar em algo que rime com tudo o que sinto por você.

Não que eu acredite que duraremos para sempre, mas enquanto puder ouvir você respirar, arquejar com a nossa chegada, ou simplesmente lamber a minha cara, sinceramente, você será o melhor cachorro de todo o mundo.


3 de agosto de 2010

Felicidade Extrema

Eu sei, posso tornar-me repetitiva, anormal
Mas gosto apenas de escrever o que sinto
Nunca me senti tão bem, coisa e tal
Quanto no momento, aqui nesse recinto

Felicidade que explode no peito
Quando se fecha os olhos e se pensa em cristais
Coisas valiosas como o sentimento, feito
Hoje, desprezada pelos demais.

Hoje, há tanto amor dentro de mim
Vontade de gritar e espernear
Queria que o tempo corresse, enfim
Pro momento que estarei com você logo chegar

Tô parecendo poeta de romantismo
Aquelas palavras melosas
Mas fazer o que, isso é lirismo
Melhor do que se expor em formas gasosas.
Inspirada mais do que nunca no surrealismo
Faz-me escrever essas coisas pastosas.

Mas no fim a única coisa que consigo
É ter rimas gostosas.

#danilosantana s2