Páginas

24 de setembro de 2008

Inteira Metade

Pois é,
Lá vou eu nos meus discursos inconsientes sobre a vida de cão.
Que me encanta e me apavora a cada dia.
Iluminada e (im)perfeição.

Sou eu assim, vivendo e aprendendo.
Erros e acertos,
Alguns não reconhecidos, sim claro,
mas não, não queira elogios o tempo todo.
Fantasia de criança.

A vida não é fácil, já me avisaram.
Mas não é impossível,
porque o que me consola
(apesar de não ser digno de se pensar)
tem gente em pior situação do que eu.
Então, por que reclamar?

Para que te chamem de coitado?
Claro que não.
Demonstre, chore e berre a fraqueza dentro de você.
Mas dentro da sua casa. dentro do seu travesseiro.

Não estrapole do portão para fora.
Porque os danos (e impressões)
podem ser irreversíveis.
E você, pode se sentir culpado (com razão) depois.

O auto controle é fundamental.
Mas é que ele é tão AUTO, que eu sei bem.
Não dá MESMO para segurar.