Páginas

9 de setembro de 2007

Juventude em Extinção

Onde estão nossas crianças?
Ah, já sei... Devem estar se escondendo atrás de manias e trejeitos dos adultos...
Atrás dos saltos altos e batons vermelhos...
Atrás dos filmes pornôs e palavrões...

Muita coisa mudou em tão pouco tempo... Nos meus 12 anos, ainda se usava brincar na rua e de boneca, que fosse de vez em quando. Mas hoje, você vê um par de pentelhos se pegando em alguma parede. Se achando adultos demais...

O que aconteceu com a infância?
O QUE ACONTECEU COM A INOCENCIA?

Antes era bonitinho você ver uma criancinha revoltadinha. “Olha, o meu bebê está virando um homenzinho!”. Agora, isso até já perdeu a graça, de tão estragada que estão as nossas crianças...


Se você perguntar pra uma criança se ela já leu livros de historias infantis, provavelmente ela dirá que não. Agora mude a pergunta para “Você já saiu pra balada?” ou “Você já beijou alguém?”. Você vai perceber que existem “11-12 anistas” muito mais experientes do que muito marmanjo de 20 anos. (Tudo bem , pode até ter sido um exagero, mas na boa... não boto a minha mão no fogo...)

Vemos que a infância se perdeu também no modo de se vestir. Não que eu gostaria que elas usassem vestidinhos de chita com laçarotes na cabeça. Não é isso. Mas o que você mais vê é realmente deprimente.
Ninguém mais se dá valor. Todo mundo se trata (veja bem SE TRATA, e não É TRATADO) como objeto, tanto meninos quanto meninas.

As mentes estão tão vazias, de modo que o único pensamento das pessoas da faixa de 11 a 15 anos são o “ficar”. Nada mais importa a não ser eu aumentar de 20 para 30 o numero de garotos que beijei. No prazo máximo de uma semana.

É deprimente... Não há outra palavra...
Se já estão estragados com 12 anos... Quem dirá aos 18...

Acabei de descobrir o real motivo (ou um dos motivos) da regressão das pessoas.

Todos têm a capacidade de crescer.
Mas preferem se preocupar com quantos vão beijar na próxima vez que forem a uma festa.

Dia da Independência (?)

“7 de Setembro/ Data tão Festiva/ Mais uma Piada nessa terra tão querida...”
Blind Pigs, “7 de setembro”

Nada melhor do que esse trecho de música pra começar esse post.

Chegam as datas cívicas e lá vamos nós, na escola, cantar o hino da Independência , com toda a pompa e orgulho, a bandeira linda (sem sarcasmo) tremulando lá na frente.
As criancinhas chegam em casa e dizem: “Papai, hoje na escola cantei o hino da Independência!”. Até é aceitável. Para crianças.

Mas nós, “grandes garotos e garotas” cantando que nem robozinhos algo decorado, algo que poucos param para prestar atenção na letra?
Fiz questão de não cantar o hino da independência esse ano. Ora, por que cantar o hino da Independência, SE NÃO TEMOS INDEPENDENCIA?

Declamamos lindamente o hino pra quê? Pra nos orgulharmos de ter ficado “livres” (ASPAS BEEEM FORTES) de Portugal? Para que nos orgulhemos de não sermos mais uma colônia? HA! NÃO MESMO!

Teríamos de nos orgulhar de ser financeira e culturalmente independentes. Isso sim seria motivo de orgulho. Mas não... Tem essa infinita dívida externa, que provavelmente só acabará quando porcos criarem asas... E ainda o brasileiro tem mania de copiar tudo o que vê lá fora... De músicas a comida... Das palavras aos trejeitos... AHHHH!

Continuo batendo na tecla da originalidade. Se fizéssemos um boicote aos produtos importados, se déssemos mais valor à nossa cultura, se fôssemos mais nacionalistas, se realmente tivéssemos ORGULHO DE SER BRASILEIROS sempre, e não só em eventos esportivos, acho que seria um bom começo.

Mas não... O pessoal acha que tá fazendo um bom serviço lá nos gabinetes e continuam trabalhando em prol dos interesses do Tio Sam, ou qualquer coisa do porte. PÔ! E OS NOSSOS INTERESSES, ONDE FICAM?

“Brava gente brasileira
Longe vá temor servil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil”

Repito: Não devemos confundir “Brasil”com “Governo”, mas do jeito que tá....

Bom... De qualquer forma, EU não morreria pelo meu país... Ele morreria por mim, por acaso?

PS: Post meio atrasado... Mas tudo bem... xDD~~